E Aí TV: Resenha Zootopia - E aí Ferrá

E Aí TV: Resenha Zootopia

11:00:00

Pra quem ainda não sabe, eu sou uma fanzona de filmes infantis, animações e coisas do tipo. Além disso, juntando com meu amor por animais fofinhos, vocês já devem ter imaginado que eu estava surtando esperando o lançamento de Zootopia (assim como estou do filme Pets). Se você não sabe do que eu estou falando, então você deve lembrar do Gif da preguiça letamente sorrindo que surgiu no Facebook, então: é desse filme! E hoje vim fazer uma breve resenha dele pra vocês! Então rola essa telinha aí pra baixo e vem comigo!


Sinopse 

O filme conta a história de uma coelhinha, Judy Hopps, que, ao contrário do esperado, sonha em ser uma grande policial. Desde pequena ela é desencorajada mas no fim ela é formada na academia de policiais e vai trabalhar na "cidade grande", Zootopia. Infelizmente ela é designada para ser apenas uma guarda de trânsito, mesmo com casos maiores ocorrendo. Ela não desiste de crescer no cenário policial e conta com a inusitada ajuda de Nick Wilde, uma raposa, para desvendar o que está acontecendo sobre os desaparecimentos da cidade e, em seguida, se vê envolvida numa enorme rede de conspirações.

E Aí, Ferrá? 


*AVISO DE POSSÍVEIS SPOILERS AQUI EMBAIXO*

O filme Zootopia teve um impacto bem grandinho sobre a minha pessoa, isso é fato! Fui ver o filme jurando que ia ver mais uma animação infantil sem lá grandes coisas além das lições de moral mais clichês que vemos por aí, mas veio surpresa! O filme é recheado de críticas sociais, principalmente as relacionadas ao preconceito, tanto na sociedade quanto no ambiente de trabalho. Era de se esperar um pouco disso, mas o que vi superou expectativas!

Logo de início vemos a preocupação dos pais da Judy em relação à profissão sonhada por ela, mas até aí é normal que nossos pais se preocupem, certo? A questão é que há também a reação de outros personagens, como o de uma raposa que menospreza a coelha e reafirma o estereótipo social: coelhos devem cuidar das colheitas, principalmente das cenouras.

No filme, os principais policiais são animais de grande porte como rinocerontes, elefantes, etc. Judy foi a primeira animal de pequeno porte a se tornar uma policial. Assim, já temos uma crítica social imensa, esta decorre através de todo o filme, como os oficiais da academia que tentam desencorajar Judy a se formar, o trabalho que é designado a ela mesmo com casos importantes precisando ser resolvidos, as brincadeiras que fazem ao perceber que ela é uma coelha policial, a falta de confiança que colocam sobre ela quando ela tenta resolver um caso maior, entre outras cenas do filme.

Quando Nick entra em cena, logo vemos que as raposas são uma espécie que sofrem preconceito na sociedade em geral. Ele entra tentando comprar um doce para seu "filho", mas é recusado e esculachado dentro da loja dos elefantes. Mesmo tentando fazer uma cena de drama, os elefantes se recusam a vender para ele e o mandam de volta para onde seria o "lugar dele". Quando Judy tenta defendê-lo, ela toma noção da realidade do preconceito sofrido pelas raposas: a sociedade os vê como espertalhões, ladrões, sempre vistos com maus-olhos.

A própria família de Judy se mostra preconceituosa com as raposas. Quando ela está indo para Zootopia, seus pais tentam enchê-la de artefatos que a protegeriam contra elas. Até então eu havia pensado algo apenas pelo fato das raposas serem predadoras dos coelhos, mas depois da cena citada acima, percebi que o filme envolvia muito mais do que isso.

Quando Nick se mostra ser realmente um espertalhão, como os preconceitos da sociedade dizem, Judy acaba tendo que dar um jeito para conseguir que ele coopere com ela em suas investigações. Ficamos um pouco decepcionados no começo ao perceber que ele não era diferente como poderíamos esperar, mas em uma das cenas ele traz uma revelação que é de apertar o coração, uma crítica social tão dura que é impossível passar despercebida.

Ele conta que quando criança, gostaria de participar de um grupo de escoteiros, este grupo seria feito apenas de "presas" (os animais no filme acabam por se dividir entre presas e predadores), mas mesmo assim ele foi atrás. Sua mãe pode juntar dinheiro (da forma como ele fala, dá a entender que foi algo difícil para a família) e comprar um uniforme novo para ele se juntar ao grupo.

Ele se sentia orgulhoso de ter conseguido mas, no dia de sua iniciação, os "colegas" acabaram por demonstrar um gigantesco preconceito com Nick: o seguraram e amarraram uma focinheira em sua cara, alegando que jamais confiariam numa raposa sem ela. Após esse episódio, Nick prometeu a si mesmo que ninguém mais passaria pro cima dele e percebeu que se a sociedade inteira acredita que ele é um predador espertalhão, não havia como mudar isso então, por isso, se tornou um.

Minhas lágrimas enchem meus olhos só de lembrar da cena, me fazendo pensar como isso é extremamente comum em nossa sociedade atual.

*AQUI COM CERTEZA TEM SPOILER DO FINAL*


Uma outra jogada interessante do filme foi sobre a principal conspiração que ocorre nele. Sabe aquela frase "lobo em pele de cordeiro?", pois então! Acontece que estavam acontecendo diversos desaparecimento de predadores na cidade.

Eles estavam surtando, voltando ao estado de selvageria, e o prefeito (um leão) estava capturando-os para tentar descobrir uma cura e saber o que estava acontecendo. Porém, Judy e Nick apenas veem uma parte da história: o prefeito capturando predadores que se encontram em estado selvagem. Logo, o prefeito é incriminado e o medo se espalha por Zootopia, afinal, milhares de predadores estariam soltos por aí, podendo se transformar em animais selvagens a qualquer momento.

Com isso se espalhando, Nick se afasta de Judy pois ela demonstra medo e começa o segundo "clímax" do filme. Quando Judy começa a perceber como tudo está errado, Zootopia está entrando num estado de caos total. Após ela voltar para casa, ela tem uma epifania e consegue perceber que a selvageria dos predadores está acontecendo pro conta de um envenenamento.

Logo ela decide voltar para Zootopia a fim de capturar quem quer que esteja fazendo isso. A descoberta é que realmente há um lobo em pele de cordeiro: a vice-prefeita, uma ovelhinha, estava planejando retomar o medo dos predadores para que todos fossem presos e, assim, as presas pudessem reinar em paz.

*FIM DO SPOILER DO FINAL*

É muita doidera para um filme só, eu fiquei perplexa assistindo e percebendo as diversas críticas sociais, lutas de minorias e tanta coisa acontecendo. Tudo isso muito misturado com humor e fofura, ou seja: o filme é maravilhoso e está super recomendado para todo mundo assistir e refletir sobre a realidade dele nos nossos dias de hoje!

Agora antes de você correr para assistir, ME CONTA! Me conta o que achou desse modelo de resenha, se você se animou pra ver o filme ou mesmo se já viu! Se quiser, vale recomendar outros pra eu ver também hahaha!

You Might Also Like

2 Comentários

  1. GENTEEE! Eu preciso ver esse filme! Eu tinha visto uns gifs e fotos no instagram, vi até o cartaz no cinema mas não achei que seria tão legal assim!
    Agora eu quero muuuuito ver, realmente parece ser um filme maravilhosamente fantástico! Amei a resenha! Beijos :**

    http://www.mar-de-ideias.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VEJA, ele é um tapa na cara e é maravilhosamente fofinho e engraçado ao mesmo tempo! Tenho certeza que não vai se arrepender, depois vem aqui me contar o que achou, tá?

      Beijos!

      Excluir