Perfil De Mãe: Fernanda Koermandy - E aí Ferrá

Perfil De Mãe: Fernanda Koermandy

11:00:00


Se você conhecer a Fernanda Koermandy agora, aos seus 28 anos, sorrindo, trabalhando em eventos e distribuindo um amor incalculável no Movimento Bandeirante, eu aposto que você será incapaz de imaginar o passado que a trouxe até aqui. Por isso, nessa Semana Especial das Mães, eu resolvi trazer o perfil dela para vocês!

Mãe aos 14 anos de um filho prematuro, vivendo um momento de sua vida recheado de conturbações e cercada por cobranças da sociedade, da família e dela mesma, Fernanda conviveu por anos com a depressão e suas terríveis consequências até que encontrou caminhos que a levaram ao desenvolvimento pessoal, emocional, profissional e maternal.


“Engravidei aos 14 anos, meu filho nasceu de 7 meses e quando tinha 2 meses fui morar com a família do pai dele. Ficamos juntos por nove anos e meio, sendo 7 desses morando junto, embaixo do mesmo teto."

          
Foram anos vivenciando experiências que pareceriam ajudar mas muitas vezes acabavam por piorar a situação. Quando saiu de casa, indo morar com a família do namorado, encontrou-se em uma situação onde se via como alguém inútil, sequer sentindo-se mãe naquele momento - para ela, Rafael, seu filho, era como seu irmão mais novo.


"Eu amadureci junto com o meu filho, foi a partir do desenvolvimento dele que eu percebi o quanto eu precisava ainda desenvolver, era muito jovem, mas ao mesmo tempo assim, algumas frustrações da vida foram aparecendo, fui vendo que a vida não é tão cor de rosa assim."


Hoje, ela mostra o quanto aprendeu com a vida não-tão-cor-de-rosa e como seu crescimento foi desenvolvido, principalmente em relação ao seu filho. Hoje ela se garante como mãe e assume seu filho com orgulho - encara a realidade: ele não é seu irmão, ele é seu filho.

"Ele é meu filho porque eu faço por merecer ser a mãe dele."


Aos 17 anos entrou num emprego em uma academia. Um lugar que, apesar de não ser seu sonho profissional trouxe algo muito bom pra ela já que ela garante que lá encontrou um dos anjos que a ajudaram: uma senhora evangélica que trouxe uma nova visão de vida para Fernanda após o sorteio de um livro.

“Foi um livro que mudou a minha forma de pensar, no sentido de - se você tem um problema, você precisa reerguer sua cabeça."


Aos poucos então sua vida parecia tomar um novo rumo. Aos 19 anos, Fernanda saiu do seu trabalho na academia e algum tempo depois iniciou sua experiência profissional naquilo que foi o pontapé inicial para sua melhora - participação em eventos e sua relação com a comunicação. Com seu primeiro evento, ela logo viu algo que antes era invisível aos seus olhos: o seu potencial, a sua capacidade de crescer - e não apenas na vida profissional.

Com o ano de 2011 veio o fim de seu relacionamento amoroso e a volta para a casa dos pais, porém o ano também trouxe uma experiência importante para a jovem: o início dos trabalhos voluntários no movimento bandeirante, pensando numa forma de se unir ainda mais com seu filho e seguindo firmemente até sua promessa em 2013.

“Foi o início de um ciclo muito especial e novo para mim. Chorei de emoção de uma forma que dificilmente irá se repetir em minha vida, foi naquele momento que tive a certeza de que eu era muito maior do que eu poderia imaginar e que dali em diante faria a diferença também na vida de outras pessoas”


A união da comunicação e do Movimento Bandeirante foi significativo no crescimento da jovem que, em 2014, foi convidada para representar o estado de São Paulo pela Federação de Bandeirantes do Brasil num treinamento para multiplicação de um projeto mundial no Rio de Janeiro, “aí ninguém me segurou mais”, Fernanda afirma com orgulho. Hoje ela deixou o voluntariado e trabalha da área de expansão e projetos do Movimento

Além do seu desenvolvimento profissional, importantíssimo na luta contra a depressão. Fernanda também desenvolveu seu lado pessoal, aprendendo a ser a mãe que é hoje e a lutar contra o preconceito em relação ao fato de ter sido uma mãe muito jovem.

"Não se assuste, eu fui mãe novinha!" Diz ela logo alertando quem pergunta sobre a idade de seu filho, hoje com 14 anos. Sim, ela está cansada de ter que justificar a todo instante, a cada apresentação a presença de seu filho, sua idade e maturidade em relação à maternidade. Porém, erra quem pensa que seu sofrimento em relação ao preconceito está ligada a ela. Seu maior medo na verdade é outro.

"O meu maior medo não sou eu, mas o meu filho sofrer as consequências."


Hoje ela afirma repleta de amor e confiança o que ela realmente espera do seu trabalho como mãe: ser uma inspiração para seu filho. Não de uma mãe perfeita, já que ela mesma sabe que a vida não é feita de perfeições, mas de alguém que batalha pelas próprias vitórias.

"Eu quero que ele se instigue pela busca dos sonhos, sabe? Pela conquista de você fazer algo que não vai ser benefício só pra você, mas que vai ser alguma coisa bacana para as pessoas que estão ao seu redor, entende? Então eu busco ser motivação pra ele."


E sem medos ou dúvidas, Fernanda encerra nosso bate-papo com a maior certeza de sua vida:

"O meu filho é a minha maior motivação."

You Might Also Like

8 Comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. As vezes somos agraciados por conhecer pessoas q somam tantas coisas boas em nosso espírito, que dá vontade de espalhar por todos os que vemos em volta. Samantha, não t conheço mas já sou fã, tratar da forma que tratou tal história eh dom para poucos. Eu tive a felicidade de saber quem eh Fernanda, eh sabemos que existem muitas outras Fernandas por aí, porém quando se trata de superação e sucesso mediante aos fracassos são poucas Fernandas que aparecem na lista.
    Parabéns pelo trabalho, esse tipo de conteúdo deveria ser os mais acessados na internet, mas parece que exemplos de superação e determinação não são tão interessantes quanto a um BBB, mas temos que fazer a nossa parte.
    Tenho certeza que tal publicação a de ajudar e estimular muitas pessoas, histórias como essa nos enchem de entusiasmo para seguir em frente, pois relata q o valor de nossas vidas é a gente que estipula.
    Feliz e orgulhoso demais por ler tal história. Parabéns Samantha, parabéns Fernanda, vc eh um exemplo a ser seguido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thiago!

      Poxa você não sabe como me fez bem ler esse comentário! A Fer é uma pessoa muito maravilhosa que nós temos a sorte de ter em nossas vidas. Foi um prazer incalculável poder contar a história dela e fico muito grata por ela ter me dado essa chance e por saber que a forma como o fiz agradou tanto os meus leitores.
      Espero de verdade que a história dela ajude aquelas pessoas que se identifiquem com ela e possam conquistar vitórias tão belas e preciosas quanto a Fernanda.
      Muito obrigada pelo seu comentário!

      Excluir
  3. Gratidão eterna por essa postagem!! Que sirva de inspiração para muitas que tem um potencial incrível, são muito melhores do que podem imaginar... Quando olharem para si mesmas, vão enxergar!! ������

    ResponderExcluir