Hora H: Sexo, Tabu E Outros Papos - E aí Ferrá

Hora H: Sexo, Tabu E Outros Papos

11:00:00

Transa, foda, nheco nheco, meteção, coito, fornicação, cópula, trepada, fazer amor, pode chamar do que quiser, mas jamais vamos fugir do que realmente é: sexo. Um assunto que aos poucos vem deixando de ser tabu - mas que ainda tem um GRANDE caminho pela frente - chegou ao E Aí Ferrá no quadro Hora H e pra começarmos a tratar o assunto é hora de desproblematizar!


Parece que não dá pra entrar no assunto "sexo" sem enfrentar tabus e julgamentos. Se você transa muito - tá errado. Se transa pouco - tá errado. Se gosta - tá errado. Se não gosta - tá errado. E agora bora lançar a real? A única coisa que tá errada é esse julgamento todo.

Assim como a fome, o sexo é algo natural, instintivo e, por isso, ele é recebido de uma forma diferente para cada um de nós. Assim como tem gente que morre de fome o tempo todo e gente que não liga tanto assim e nem sente muita fome, também tem quem sinta mais tesão ou menos e adivinha? Está tudo bem com isso.

Não pretendo entrar (pelo menos não agora, neste post) no quesito de ideologia de gênero, orientações sexuais nem nada do tipo. O assunto aqui é meramente o ato sexual - algo tão depreciado pela sociedade que sequer parece que necessitamos dele para existir. Pois é, deixa eu te contar um segredo: você tem altas chances de ter vindo de uma noitada de sexo entre seus pais biológicos, viu?

Brincadeiras à parte, hoje eu queria convidar vocês a dar mais um passo na quebra desse tabu. Que tal se hoje você se conhecesse um pouco mais? CALMA! Não estou falando pra você se jogar num sexshop, experimentar todos os vibradores ou sair enfiando qualquer coisa dentro de você. Vamos começar despacito (devagarinho).

Muitas pessoas, principalmente mulheres, tem uma enorme insegurança com a própria nudez. Por que não começarmos por aí? Querendo ou não, o sexo mexe muito com isso (ninguém merece transar de roupa, né?) e infelizmente ainda tem uma boa galera que sequer consegue se conhecer sem roupas. Então hoje meu convite é o seguinte: que tal tirar a roupa, num momento só seu e se observar? Se acostumar com a visão do próprio corpo?

Claro, você pode (e deve) se explorar, olhe aqueles detalhes, aqueles locais que você antes ignorava. Se você só olha para a sua genitália na hora de lavar ou depilar, que tal olhar agora para observar? Não precisa ter medo, ela não morde (e olhar não tira pedaço). Faça isso, comece algumas vezes por semana, logo estará fazendo isso todos os dias e aos poucos você vai poder se acostumar com seu próprio corpo. Você poderá ver e enxergar como você é de verdade, poderá se sentir à vontade o suficiente para explorar novos ângulos, pegar um espelho e se olhar de trás para frente, de baixo pra cima e por aí vai.

Uma frase que li uma vez, se não me engano no blog Casal Sem Vergonha, e que adorei é "quando tirar a roupa, jogue sua vergonha no chão junto com ela" (ou algo do tipo). Isso serve aqui, não precisa ter vergonha de se olhar, de se tocar, de se conhecer. Tire suas roupas. Tire suas amarras. Tire seus medos e receios, jogue tudo no chão junto às suas roupas.

Chegou a hora de se descobrir.

Descubra-se.

You Might Also Like

0 Comentários